Gestão de Carreira e Competências | Outra lição de Antônio Alves - por Marcelo Veras

Artigo

10 Junho, 2019

"Meu maior concorrente sou eu mesmo"

Há pouco mais de um ano, em maio de 2018, escrevi sobre o Antonio Alves, um garçom que conheci na Unidade do Coco Bambu de Campinas-SP. O texto está no blog caso queira ler ou reler (www.marceloveras.com - artigo 367, "O crescimento de Antonio Alves"). Na ocasião afirmei que, quando o conheci, ainda garçom, tive a certeza de que ele iria longe. E não deu outra, o Alves, como é conhecido, virou gerente em pouco tempo e segue a sua jornada na mesma unidade. Tive, inclusive, o prazer de convidá-lo para um evento da escola no ano passado e lá estava ele, com sede de aprendizado.

Pois bem, nesta última semana, depois de muito tempo, em função de morar em São Paulo, eu a minha esposa fomos almoçar no restaurante e quem vem à nossa mesa com o mesmo sorriso e atenção? Ele. Conversamos um pouco, ele perguntou por que estávamos sumidos, perguntamos das novidades e conversamos sobre amenidades. Ao falar do restaurante, ele nos contou empolgado sobre os novos projetos. Uma brinquedoteca que está em construção, a reforma da área aberta do restaurante, as novidades que o cardápio irá ganhar, entre outras coisas. Ao saber de tantos movimentos, falamos:

- Nossa, quanta coisa!

- Pois é, precisamos nos mexer! Se pararmos, a concorrência passa na frente! - disse ele.

- Verdade! - respondemos

E foi então que a minha esposa fez a pergunta que deu origem a este novo texto sobre o Alves.

- Antonio, quais são os maiores concorrentes do Coco Bambu em Campinas?

- Ah, nós temos vários, mas o nosso maior concorrente somos nós mesmos! - disse ele com convicção.

- Ah, é? Como assim? - perguntei em tom provocativo.

- Isso mesmo! Nós somos os nossos maiores concorrentes. Se deixarmos, somos vencidos por nós mesmos. Acomodação, descuido, certeza de que somos bons, etc. Tudo isso pode nos atrapalhar.

- Concordo! - respondi com um orgulho enorme ao ver alguém com tanta visão. Até pensei comigo: "Ah como que queria que tantos outros pensassem assim"!

Saí dali encantado com mais essa do Antonio e resolvi compartilhar aqui com você mais uma lição que devemos sempre ter em mente. Na maioria das vezes, somos vencidos por nós mesmos. Normalmente, quando nos acomodamos, achamos que o "jogo" está ganho ou que somos os melhores, o caminho do fracasso começa a ser trilhado. O sucesso não é um estado que, ao se alcançar, nos dá o direito de achar que jornada acabou. Muito pelo contrário, a história recente tem mostrado com muita clareza que "sucesso passado não é garantia de sucesso futuro". Definitivamente, o que nos trouxe até aqui não nos levará ao futuro. Portanto nunca podemos nos acomodar ou achar que dá para colocar o carro na banguela que ele seguirá. Não seguirá sem um pé forte no acelerador.

O Antonio não é professor e nem estudou muito, mas agradeço pelas sábias palavras, que deveriam inspirar muitos a fazerem o mesmo - lutarem todos os dias contra si próprios. Até o próximo!

Chat