Tive uma ideia | Criatividade, conexões incomuns e um exercício para a sua imaginação. - por Tadeu Brettas

Artigo

29 Julho, 2019

Criatividade, conexões incomuns e um exercício para a sua imaginação.

Tudo que a gente nomeia passa a existir. E o que a gente define, passa a ser um amigo, alguém que entendemos. Já vi muitas definições de criatividade, algumas até complexas demais para um assunto cuja natureza é a simplicidade. Você pode ter uma, certamente a tem. A que gosto é essa: "Criatividade é a capacidade de criar conexões incomuns". Está tudo aí. Senão nas palavras, ao menos na riqueza dos seus sentidos. Conexões incomuns...misturar coisas, colocar em contato estruturas, ideias, conceitos, coisas, que não fosse por sua imaginação jamais estariam juntas agora.
Sim, uma espécie de "Arca de Noé" mental, depois que fez uma curva e os bichos se misturaram...as espécies se encontraram.
Percebe-se, nitidamente, portanto, duas matérias-primas necessárias para que essas conexões nasçam: deixar o seu lado criança soltar-se, dominar a cena e sair pela estrada de tijolos amarelos em busca de inspiração. Essa é a primeira. A segunda, gosto de chamar de "repertório". Simples explicar: saber um pouco de tudo, ser um curioso nato, guardar preciosidades na mente, das mais variadas fontes culturais, ter um "hd" repleto de coisas interessantes. Isso ajuda muito no momento de encontrarmos "peças" para conectar. Quanto mais temos, mais possibilidades visualizamos. Sabe quando você se vê conversando horas com alguém e se sente envolvido pela riqueza das histórias e da imaginação dessa pessoa? É provável que ela esteja usando parte dos tesouros que guarda na mente. E que esteja fazendo conexões tão incomuns que o leva a perder a noção do tempo, de tão originais que são. 
No fundo, uma coisa puxa a outra: quanto mais colocamos a curiosidade em campo (aquela mesma de quando éramos crianças), mais atalhos criamos no nosso cérebro. 

Ok, você está se sentindo confiante e quer praticar.

Vamos pensar em conexões então. Um aquecimento para os neurônios, um exercício de imaginação. Cedo-lhe a bola de cristal. Agora, olhe para ela, e imagine como seria o mundo em 2050. 
Como já estive lá, vou lhe dar algumas pistas do que anda acontecendo:

- As pessoas perderam o uso das suas pernas;
- Uma descoberta científica aumentou a expectativa de vida para 300 anos;
- As pessoas raramente deixam suas casas devido a condições meteorológicas anormais e perigosas;
- As crianças estão no comando;
- Descobrimos como ler pensamentos alheios;
- Uma equipe de ratos está jogando contra o Chelsea na Copa da Inglaterra, em Londres.

Fonte: STEWART, Dave, SIMMONS, Mark. O Playground dos Negócios. Alta Vista, São Paulo, 2013.

Pode desenhar, escrever, modelar com massinha, enfim, representar esse mundo irá colocar a sua imaginação em estado de êxtase. É comum que diante de algo que lhe parece incomum, o seu "juiz" interno, implacável e racional, lhe diga para deixar essas tolices de lado e por os pés no chão. Quer mais um conselho? Peça para ele dar um tempo e sumir na hora do seu "recreio". Pensar por meio de cenários incomuns pode lhe ajudar a criar formas melhores de fazer ou construir alguma coisa. Vá em frente e se surpreenda ao ver que sua capacidade criativa só precisava de alimento para crescer. E que investir tempo nisso vai fazer um bem enorme para você e para os negócios. Afinal de contas, é do "divagar e sempre" (mais uma frase criativa do inesquecível Millôr Fernandes) que surgem as grandes inovações.

Chat