Capitalismo Consciente | 7 Passos para Descobrir o Propósito de sua Organização - por Thomas Eckschmidt

Artigo

11 Janeiro, 2019

"Saimos da Era do "Show me the Money" para entrar na Era do "Show me the Meaning"
 
O meu primeiro emprego depois de formado foi em uma empresa de gestão de projetos. Lá existia uma tradição de perguntar publicamente a todos novos contratados o porque de haverem escolhido a carreira que escolheram. As respostas mais frequentes estavam sempre relacionadas com a pratica da atividade profissional. Ninguém sabia exatamente para que aquilo servia e se havia uma resposta certa ou errada, ou se aquele momento determinava seu futuro na organização. Para nós recém-formados, aquilo parecia um momento de provação e de grande estresse.
 
Essa foi a primeira vez que me deparei diante de uma oportunidade única de questionar uma decisão que tomei na minha vida. Esta foi certamente o meu primeiro contato com a ideia de Propósito, ainda que de forma inconsciente. 

Ao longo dos primeiros anos de minha jornada profissional percebi que me distanciava daquela resposta que dei naquele dia para os executivos da empresa que me ofereceram a primeira oportunidade de trabalho remunerado. Acabei mergulhado em uma consultoria de capital de giro, onde usava muita criatividade, de forma legal, para ajudar empresas a melhorarem os números em seus balanços financeiros. Cheguei a ponto de me questionar o que estava fazendo e foi quando dei uma verdadeira guinada na minha vida profissional e coincidentemente coincidiu com o nascimento de minha filha.

Fui atraído pela possibilidade de criar algo do zero, e foi quando me aventurei para empreender. Na época os meus sócios eram mais jovens que eu e com perfis bastante diferentes. Eu acreditava que aquela diversidade poderia ser boa para o conjunto. Criamos assim uma empresa de rastreabilidade de alimentos e com isso publiquei 4 livros, depositamos 3 patentes e ganhamos 8 prêmios. Ao longo dessa jornada, percebi que a nossa solução de rastreabilidade de alimentos poderia ser mais do que um software, SaaS (Software as a Service), mas o que criamos era efetivamente uma ferramenta de transformação da cadeia produtiva de alimentos.
 
Foi nesse momento que eu descobri, de forma consciente, o que é o conceito de propósito. Nosso impacto como negócio pode ir além da apenas uma transação capitalista binaria de um software por uma quantidade de dinheiro. Estávamos mudando o comportamento das empresas envolvidas através da nossa ideia e de nosso aplicativo.

Contribuímos para a redução da perda de alimentos na cadeia produtiva, ajudávamos a melhorar a produtividade e identificamos uma redução do impacto negativo no meio ambiente, ajudamos os produtores a produzir mais do mesmo recurso. Essa ideia de que uma organização pode gerar mais valor para todos envolvidos foi um despertar que não funcionou de maneira igual para todos os sócios da empresa.

O objetivo dos meus sócios era vender software, e para isso o jogo era uma abordagem de quantidade. Um representante comercial faz 10 visitas no mês, 3 se convertem em propostas e 1 vira cliente. Assim se tivermos 10 representantes comerciais, teremos 100 visitas no mês, 30 propostas e 10 novos clientes. Em resumo, o objetivo era de gerar mais lucro e acumular mais dinheiro. Cuidado, nada de errado com isso. Não dar lucro é uma irresponsabilidade social.

Quando uma organização não gera excedente de riqueza, lucro, ela coloca em risco todos envolvidos e suas famílias (fornecedores, funcionários, representantes, clientes e outros). O problema está em que o lucro seja a meta e não a consequência do valor que a sua organização gera para a sociedade. Os meus sócios na época não percebiam que, gerando valor para a sociedade, os resultados financeiros são ainda maiores e mais perenes, como mostra o estudo publicado por mim e por Raj Sisodia no livro Conscious Capitalism Field Guide (www.CCFieldGuide.com) publicado pela Harvard Business Press e disponível em português pela Editora Voo (https://editoravoo.com.br/loja/).

 
Como revelar o propósito de uma organização?
 
A partir dessas mudança em minha vida comecei a me envolver com o movimento do Conscious Capitalism (https://www.consciouscapitalism.org/)nos Estados Unidos e desenvolvi 7 passos para ajudar outras pessoas a revelarem o propósito de sua organização. 

1. Identifique os três principais valores da organização: esses valores devem se relacionar com o que a organização mais se preocupa. O que você considerado inegociável?

2. Compare a sua Organização: Considere e estude outras organizações que você admira e às quais gostaria de se igualar (não copiar).

3. Imagine que a sua organização deixasse de existir: pensando em uma retrospectiva histórica, como você gostaria que a sua organização fosse lembrada? Qual é o legado que você se orgulharia que ela tivesse deixado?

4. Onde você quer chegar: Quais são as metas e objetivos mais importantes para a sua organização? (Evidentemente, estes objetivos devem emergir do que você mais valoriza no seu negócio).

5. Fusão dos objetivos e valores: Combine esses objetivos o os valores da sua organização em uma frase curta que representa o propósito geral do negócio. Assegure-se de que esse propósito transcenda a receita.

6. Teste seu propósito: Esse é o momento de analisar se o chapéu realmente serve, o propósito tem que inspirar a todos envolvidos, e mais importante, precisa ser autêntico. Cuidado com frases de efeito.

7. Vista o seu novo chapéu: Faça uma campanha em sua organização para que todos entendam e vivam esse propósito. Tome decisões baseadas nele e compartilhe para dar exemplos práticos. Reconheça publicamente as iniciativas alinhadas ao propósito. Não tenha medo de ajustar o propósito conforme a ideia amadureça. Mas não ajuste o propósito a cada nova campanha de marketing, isso seria um slogan e não um propósito.

Esses 7 passos são uma simples abordagem para uma jornada de uma organização de impacto positivo e de resultados exponenciais. Lembre-se que negócios exponenciais passam por uma fase de "frustração de desempenho" em relação à média de mercado, mas é no longo prazo que a diferença é efetivamente 10 vezes superior.

Caso se interesse por uma jornada mais completa conheça o Ativador dos Fundamentos de um capitalismo mais consciente e faça uma auto avaliação e receba um relatório com sugestões de ações práticas de transformação (http://ccactivator.org/). 

Lembre-se, toda organização existe para gerar valor para a sociedade e não extrair valor dela. Um negócio não envolve apenas dinheiro: ele pode, e deve, trazer resultados positivos e duradouros para todos os envolvidos. Afinal, qual é a vantagem de ser a pessoa mais rica do cemitério? Ser o mais bem vestido no mar de lama? O maior desafio está em ajudar as pessoas entenderem que o seu trabalho pode deixar um legado.

Você reconhece o legado que você esta deixando?

Chat